segunda-feira, março 22, 2010

MenteQueVives - Meu lugar

Nem sempre me sento no meu lugar. E sinceramente já perdi a conta das vezes que não o fiz. Mas as vezes que o cedi, essas lembro-me de todas. Foram três.
A primeira foi a uma senhora. Para agradecer leu-me a sina na palma da mão. Disse duas ou três coisas óbvias e outras tantas rebuscadas que nunca vou saber se foram certeiras. Esqueci-me. Esqueço sempre do que me querem impor.
A segunda vez foi a um cego. Agradeceu e pediu-me que descrevesse como estava o dia la fora. Perguntei-lhe se alguma vez tinha tido visão. Respondeu que sim. Disse-lhe, então, que estava igualmente bonito ao último dia que recorda e que nunca mais tinha havido melhor.
A terceira e última, foi a um senhor de bengala que abandonou o lugar antes da minha estação. Ao sair agradeceu e disse-me para nunca deixar de chamar "Meu lugar" ao lugar que escolho e que nunca devia cedê-lo, a quem nem sequer tenta encontrar o seu.

4 comentários:

Luigi disse...

Amigo, a isto chamo um GRANDE Momento de Inspiração!!!
Aquele Abraço!

© Piedade Araújo Sol disse...

Miguel

que belo texto.

um abraço!

Estrelinha* disse...

Está simplesmente maravilhoso =)..no entanto eu tenho sempre que te xatear por algum lado pois está claro =P ..assim..fique sabendo que "lá" tem acento ("como estava o dia la fora") =P

Pronto agora que xateei já estou satisfeita =P

Bem agora a sério..está muito fixe e tens muito jeitinho para isto..não te esqueças é de quando publicares um livrito não te esqueceres de colocar nos agradecimentos..à prima adoptada ;P

Beijoca*

PS_Parece-me que vou começar a vir aqui mais vezes..tem textos muito cativantes =)

© Piedade Araújo Sol disse...

;)););)

como não tens poste novo, deizo os meus votos de Boa Páscoa.