sábado, abril 03, 2010

MenteQueVives - Atracção dos corpos

Deu quatro passos apressados desde a porta de casa até ao limite do passeio. Fê-lo com a mão sobre a testa, como uma pala. Percebia-se a aflição em não deixar o passado tapar-lhe a visão.
Olhou a curva da estrada tantas vezes que parecia fazê-lo de forma contínua. Queria tanto ver o seu alguém aparecer que eram as horas que tinham de passar-lhe em frente ao rosto, e não este ir em busca dessa marca. Assim ficou, à espera.
Para mim a curva fez-se recta. As suas horas em mim ficaram feitas em segundos. Por cada um que passava era mais um reforço na traição que o meu carro, bocado inerte de mim, dava naquele desejo de ser a lei da física que punha por escrito a atracção dos corpos.

1 comentário:

© Piedade Araújo Sol disse...

uma maneira criativa de escrever, muito peculiar.

um beij